A tecnologia está inserida no nosso dia a dia de maneira constante, seja no trabalho ou até mesmo em questões pessoais. O fácil acesso, a comodidade e agilidade que ela oferece tornam tudo mais prático, principalmente quando as informações são salvas em nuvem. Porém, com tantos dados sendo salvos a cada minuto, podemos nos questionar: o armazenamento em nuvem é seguro?

Até porque sabemos que o uso crescente da tecnologia atrai pessoas mal intencionadas, como hackers, invasores e ladrões. Empresas de todos os segmentos estão lutando para se defender destes criminosos. De acordo com o State of Cybersecurity, companhias de todo o mundo relatam experiências e contextos em que aconteceram os ataques cibernéticos:

  • Medidas de segurança insuficientes: 45% dizem que seus processos são ineficazes na mitigação de ataques;
  • Frequência dos ataques: 66% sofreram um ataque cibernético nos últimos 12 meses;
  • Antecedentes dos ataques: 69% dizem que os ataques cibernéticos estão se tornando mais direcionados.

Por isso, é de extrema importância sempre adotar medidas de segurança e, assim, garantir que seus dados estejam a salvo. É aí que entra a segurança de armazenamento em nuvem, uma estratégia que reúne uma série de medidas capazes de proteger os dados e o usuário de possíveis ciberataques. 

Continue lendo o artigo e saiba mais!

O que é segurança de computadores?

A segurança de computadores, também conhecida como cibersegurança, é uma forma de proteger os servidores, dispositivos móveis, sistemas operacionais e redes contra os ataques maliciosos. Então, consiste em uma série de medidas que fornecem segurança não só aos equipamentos, como também à rede, garantindo a integridade dos dados disponíveis. 

A segurança de computadores é realizada por meio de um conjunto de técnicas e ações, dentro dos equipamentos, servidores ou redes. É uma atividade de extrema importância e serve para garantir que dados valiosos não vazem ou sejam roubados durante ataques cibernéticos.

Existem diferentes tipos de segurança de computadores, como a cibernética, de aplicativos, de rede, da informação e de nuvem.

O que é segurança em nuvem? 

Antes de entender o que é a segurança em nuvem, é preciso conhecer o conceito de armazenamento em nuvem. Ele consiste em um modelo de serviço que armazena dados em um ambiente virtual, ou seja, é possível salvar dados dentro de um sistema externo por meio de um provedor.

Os dados são armazenados na internet e é possível acessá-los e gerenciá-los com muita facilidade. O armazenamento em nuvem é seguro e oferece diversas vantagens, entre elas: agilidade, escalabilidade, resiliência e acesso aos dados em tempo real e de qualquer lugar.

Além disso, adotar esse modelo de serviço garante uma redução considerável de custos, dado que não é mais necessário adquirir e manter uma infraestrutura de armazenamento própria: os dados ficam salvos em um provedor online.

Por oferecer diversas vantagens e trazer comodidade, esse serviço tem sido muito buscado e, assim, é preciso adotar medidas para garantir a segurança dos dados armazenados. Com isso, surge a importância da segurança na nuvem. 

Também conhecida como segurança da computação em nuvem, esse é um termo amplo usado para se referir a uma série de medidas criadas para proteger um sistema ou uma rede de computadores. Em outras palavras, visa blindar a infraestrutura, os aplicativos e dados armazenados em nuvem contra possíveis ataques. 

Diferente da segurança de computadores tradicionais, a segurança em nuvem trabalha para proteger os ativos que se encontram em um provedor de serviços terceirizado. Ela inclui controles de segurança e melhorias nos processos que servem para fortalecer os sistemas, além disso, avisam sobre possíveis ameaças e invasões.

Quais os tipos de segurança no armazenamento em nuvem?

É preciso escolher o tipo de nuvem de acordo com as necessidades da empresa de tratamento e manutenção dos dados e informações coletadas por ela.

A principal característica do armazenamento em nuvem é o nível de segurança. Na prática, isso significa que eles estarão mais seguros em cloud do que se estivessem armazenados em uma estrutura física. 

Como vimos, esse modelo de serviço oferece diversas vantagens, entretanto, é preciso pensar com calma na hora de escolher um modelo para sua empresa, já que existem 4 tipos diferentes de armazenamento em nuvem. Confira quais são eles!

Segurança em nuvem: privada

É um modelo de serviço criado com base nas solicitações e finalidades da empresa, e é totalmente privado. Isso significa que outros indivíduos não podem ter acesso, já que o modelo é exclusivo para atender às demandas da organização. 

Geralmente essa nuvem é conectada aos data centers internos da empresa e dentre os benefícios que esse modelo oferece se destacam os seguintes:

  • eficácia;
  • desenvoltura;
  • maior segurança e 
  • ótimos níveis de aprimoramento.

Ao optar pela segurança em nuvem privada, você pode customizar os locais de acesso, os recursos disponíveis e as opções de armazenamento. Entretanto, é importante deixar claro que esse modelo também oferece algumas desvantagens, como a necessidade de manutenções frequentes

Por isso, é recomendado para empresas que necessitam de um tempo de resposta rápido e desejam ter maior controle sobre os dados que circulam entre os servidores. E ela é totalmente segura, uma vez que é fechada entre um grupo de usuários e seu acesso por pessoas de fora, como invasores, passa a ser mais complicado.

Segurança em nuvem: pública 

Ao ter como padrão a cloud computing, a empresa passa a ter acesso a diversos recursos que permitem armazenar informações, garantindo maior flexibilidade e desempenho por um custo mais baixo com o uso da nuvem pública.

O armazenamento em nuvem pública fornece acesso a um centro de processamento de dados em um nível avançado. Assim, a segurança em nuvem pública envolve um monitoramento constante, uma vez que é mais aberta que a anterior, exigindo um cuidado redobrado por quem estiver fornecendo esse serviço.

Além disso, ao escolher esse modelo, você tem a garantia que as informações são armazenadas de forma eficiente e tudo isso sem a necessidade de adquirir novos equipamentos, softwares, equipe de TI e outros serviços.

Esse modelo de serviço pode trazer diversos benefícios, como:

  • agilidade na implantação de TI;
  • acessibilidade para diferentes tipos de empresa;
  • possibilidade de personalizar o sistema;
  • maior escalabilidade para atender as demandas e
  • menor preocupação com a manutenção, pois isso será responsabilidade do provedor.

Segurança em nuvem: compartilhada

Diferente da nuvem privada, esse tipo de serviço pode ser compartilhado entre vários usuários, ou seja, diferentes pessoas podem ter acesso aos dados armazenados. Nesse caso, se houver a necessidade, todas as pessoas com acesso ao sistema conseguem fazer alterações e manusear as informações de maneira simultânea

Esse modelo é ideal para empresas que estão envolvidas entre si e necessitam partilhar a infraestrutura entre um grupo específico de usuários que possuam interesses em comum.

Segurança em nuvem: híbrida

É a junção da nuvem pública, privada e compartilhada, esse modelo concentra uma grande variedade de opções e possui uma infraestrutura sustentada por um conjunto de provedores internos e externos.

Nesse caso, os sistemas se completam e as ferramentas permitem que os usuários compartilhem os recursos e arquivos com o centro de processamento de dados dos clientes.

Este modelo de segurança em nuvem híbrida oferece alguns benefícios, como:

  • flexibilidade;
  • agilidade e
  • economia.

Optar por esse serviço pode ser vantajoso para empresa, visto que ela consegue executar o programa na nuvem privada e explorar os recursos disponíveis na nuvem pública. A única desvantagem é que existe a necessidade de usar softwares corretos para evitar erros na comunicação dos sistemas.

Armazenamento em nuvem é seguro? Conheça os cuidados ao contratar o serviço!

 Há várias dicas para manter os seus dispositivos e serviços de nuvem protegidos de invasores, é válido que os colaboradores da companhia sigam estas instruções para que todo o sistema esteja protegido.

#1 Verifique se o serviço é de confiança

Há diversos modelos de nuvem que podem ser pagos ou gratuitos, isso faz com que eles tenham recursos bem diferenciados. É preciso entender qual é a demanda e as necessidades da sua empresa para escolher o modelo mais adequado.

#2 Conheça os diferentes modelos de serviço na nuvem

Como vimos, há quatro tipos diferentes de nuvem – pública, privada, compartilhada e híbrida. Por isso, é preciso conhecer como cada um funciona, qual é a capacidade de armazenamento e se há cobrança ao atingir o limite de recursos contratados. 

Além disso, é importante se atentar à operação: confirme se ela é compartilhada com outras empresas, ou se o acesso é exclusivo. É preciso analisar as especificações de cada uma com calma para evitar surpresas no futuro.

#3 Aprenda como se manter seguro

Adote medidas de segurança e aprenda a se prevenir de possíveis ataques no seu serviço de nuvem:

  • não escolha senhas fáceis;
  • aplique senhas em todos os arquivos;
  • atualize periodicamente as senhas;
  • não compartilhe suas senhas com outras pessoas;
  • ao finalizar suas operações, faça o logout da conta;
  • nunca salve suas senhas no navegador da web;
  • mantenha um backup dos seus dados;
  • utilize softwares originais;
  • invista em um bom antivírus;
  • faça atualizações constantemente nos sistemas operacionais, navegadores e aplicativos;
  • quando possível opte por utilizar a criptografia de dados.

#4 Tenha opções de recuperação de dados

A nuvem traz diversas facilidades, entre elas a comodidade de acessar os dados de qualquer lugar e tudo isso sem a necessidade de uma infraestrutura física. Entretanto, estar totalmente nela pode ser prejudicial caso ocorra uma queda no sistema, ou na internet. Nesses casos, os dados podem sofrer danos ou avarias.

Por isso, é importante que você tenha um serviço que garanta essa recuperação de dados e informações disponíveis no servidor.

Como a Ingram Micro pode te ajudar?

Após escolher um serviço de armazenamento em nuvem e seguir as dicas de proteção, é o momento de entrar em contato com especialistas para realizar a compra e manutenção do seu serviço em nuvem.

É de extrema importância que as organizações invistam em segurança, isso por conta dos dados sensíveis com que as companhias lidam diariamente. E, para conseguir armazenar uma grande quantidade de informações, é mais prático e econômico investir em um serviço de nuvem, de acordo com as necessidades do negócio.

Afinal, ao trabalhar com o armazenamento de dados, a empresa assume para os usuários que irá protegê-los de cair na mão de terceiros. Além disso, há também a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que estabelece regras para a coleta, tratamento e armazenamento de dados por parte das empresas dentro do meio digital.

Assim, é preciso proteger os dados dos clientes, dos funcionários e, também, os seus próprios dados. Por isso, você precisa conhecer as medidas de segurança na nuvem e adotá-las para se proteger. E para isso é essencial que você também busque o parceiro ideal para o fornecimento deste tipo de serviço.  

A Ingram Micro oferece os melhores serviços de armazenamento em nuvem a partir da oferta de diferentes soluções, como a Symantec, da Trend Micro e o Service IBM Bluemix Iaas, entre outras.

Somos referência quando o assunto é serviço na nuvem. Entre em contato com nossos especialistas e tire suas dúvidas sobre o armazenamento em cloud.

Este artigo foi útil?

(4)

Você já votou neste post

Alexandre Nakano

Alexandre Nakano

Diretor de Segurança e Networking da Ingram Micro Brasil. A frente da diretoria de novos negócios para a área de Enterprise, Colaboração e Cybersec na Ingram Micro Brasil, possui mais de 20 anos no mercado de tecnologia e esteve sempre em cargos de gestão e direção de vendas em grandes empresas do setor de TI. Tem, em seu currículo, passagem por empresas como Cisco Systems, Cyclades/Avocent, Westcon/Comstor e Scansource/Network1. Além da experiência profissional, traz na bagagem acadêmica dois MBAs executivos, o primeiro em gestão corporativa pela FGV, o segundo em finanças, pelo Insper, além da graduação em Engenharia Eletrônica.